Inovação no Marketing: Canais de venda

Uma das primeiras preocupações de quem pensa em abrir um negócio é a escolha do local, o chamado ponto, onde a empresa deve ser instalada. Essa decisão é de extrema importância porque pode determinar o sucesso ou o fracasso da empreitada. É uma inovação no marketing.

Veja o o caso da paraense Fátima Chamma, proprietária da loja Chamma da Amazônia, que vende artigos de perfumaria feitos à base de vegetais encontrados na região norte do país. Vamos analisar o exemplo da empresária para que você também possa ter boas ideias de como fazer uma inovação no marketing.

Entenda o que aconteceu

A primeira lição de Fátima é a seguinte: monte sua loja onde o seu público alvo está. Não adianta inventar um produto fantástico, criar uma logomarca bacana e investir pesado na decoração da empresa, se o mercado não tem acesso ao seu negócio. Para não errar, estude com muita dedicação o perfil do cliente que quer atrair. Classe social, grau de instrução, idade, hábitos e necessidades são as informações básicas que devem ser obtidas sobre seus potenciais consumidores.

Com base nesses dados, a proprietária descobriu que seus principais clientes seriam turistas nacionais e internacionais, de alto e médio poder aquisitivo, seduzidos pela fragrância e pelo charme místico da Floresta Amazônica. Qual é o lugar por onde passam, todos os dias, milhares de viajantes loucos por lembrancinhas que remetam à cultura e a exuberância do Brasil? “No aeroporto”, pensou Fátima. Atualmente, a empresa possui mais de 30 pontos de venda – a maior parte, em aeroportos brasileiros. Uma inovação no marketing.

Os clientes nem precisam procurar. Produtos típicos de uma das localidades brasileiras mais conhecidas no mundo estão disponíveis justamente onde quase todos os turistas precisam passar para começar ou terminar a viagem. A estratégia dá certo mesmo que o destino seja Curitiba – cidade a mais de quatro mil quilômetros de distância da Amazônia e com cultura, sotaque, clima, fauna, flora bem diferentes da Floresta.

Durante as férias, os visitantes brasileiros estão motivados a desvendar o próprio país e são facilmente seduzidos por produtos típicos (em muitos casos, até por aqueles que são tipicamente fabricados em outro estado!). Já para o estrangeiro, tudo é festa! Pode ser da região sul ou norte, o que importa é levar um pedacinho do Brasil para casa.

O público alvo da Fátima é formado por turistas, e o seu? Já parou para pensar nisso mais a fundo? Depois de respondida essa pergunta ficará muito mais fácil decidir onde localizar sua loja. O importante é que seja um lugar próximo dos seus consumidores. Assim, seu produto ganha. Não adianta abrir um ponto de venda num shopping frequentado pelas classes A e B se sua mercadoria é destinada aos consumidores de baixo poder aquisitivo. Também é pouco provável que uma loja de artigos de surf faça sucesso no estado de Goiás. Faça associações: livrarias perto de faculdades, lojas de artigos esportivos próximas de academias, e por aí vai…

Mas você não está sozinho nessa pesquisa. Com um programa chamado de “Bússola”, consultores do Sebrae conseguem fazer uma busca de potenciais mercados consumidores e inovação no marketing. É possível acessar mapas, além de informações geodemográficas e econômicas de mais de mil municípios. Também é permitido procurar cidades com características específicas, como, por exemplo, localidades formadas por habitantes de alto poder aquisitivo ou regiões com alta concentração de empresas de um tipo de segmento. Para beneficiar-se dessa ferramenta, basta ir ao ponto de atendimento do Sebrae mais próximo da sua empresa.

A importância da decoração e do ambiente da loja

O turista sente-se dentro da própria Floresta Amazônica ao entrar na loja da empresária Fátima Chamma. Mesmo a decoração foi feita com artesanatos e matérias primas provenientes da região norte. Mais do que sabonetes e óleos cheirosos, a paraense criou um estilo, um conceito. A mensagem que a marca Chama da Amazônia passa é “nossa empresa preserva e admira o meio ambiente e nossos produtos deixam você tão bonita e sedutora quanto as mulheres brasileiras”.

E você? Que mensagem quer passar aos seus consumidores? É preciso criar não apenas produtos, como também uma marca forte. Dessa maneira, sua empresa lança uma moda, uma tendência, uma imagem que chame atenção e seja copiada pelos clientes.

Permitir a abertura de franquias pode ser um bom negócio da inovação no marketing

Se você quer seguir o exemplo da Chama da Amazônia e também deseja manter sua loja pequena sem interromper o aumento dos lucros, uma boa pedida pode ser disponibilizar a abertura de franquias. Assim, com recursos de terceiros, você amplia a visibilidade da sua marca e o número de pontos de venda do seu produto. Isso se chama crescer em parceria! Mas essa é uma decisão que deve ser tomada com cautela. Você precisa ter certeza de que está preparado e tem fôlego para isso. Observe se as franquias vão aumentar o contato do seu produto com o público alvo e pesquise a aceitação de suas mercadorias em outros estados e países.

Saiba também: Como o serviço de SEO pode ajudar a sua empresa

A empresa com franquias tem que oferecer produtos e serviços bastante padronizados, de modo que o consumidor não saiba diferenciar a matriz das outras lojas. A roupa ou sanduíche oferecidos em um ponto de venda devem ser exatamente iguais aos ofertados em outro.

Calcule se você possui recursos para bancar aumento de estoque. Analise se tem condições de montar duas equipes: uma para treinar os funcionários contratados pelo seu parceiro e a outra responsável por verificar se os padrões da matriz estão sendo mantidos na franquia (como organização da vitrine, disposição dos objetos dentro da loja, uso de uniforme pelos funcionários, etc.). Essas atitudes representam inovação no marketing e na organização do seu negócio.

Deixe seu comentário